Suspeito de participação em morte de policial morre em confronto com o Bope no RN

Suspeito morreu em confronto com militares do Bope, em Natal. — Foto: Redes sociais

Um jovem de 19 anos suspeito de envolvimento na morte do sargento Francisco Edmilson da Silva - conhecido como F. Silva - em dezembro de 2020, morreu em confronto com o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) na manhã desta quinta-feira (11) em Natal. As informações são da Polícia Militar.

De acordo com a PM, equipes foram à rua da Lapinha, no bairro Nova Natal, cumprir um mandado de prisão da Operação Nito, contra o suspeito. Porém, Fernando Ventura Alexandre, de 19 anos, teria atirado contra os militares e tentado fugir. Na troca de tiros, ele foi atingido.

O homem foi socorrido ao Hospital Santa Catarina, na Zona Norte da capital, mas não resistiu e morreu. Ele ainda fui levado para o Hospital Santa Catarina.
Homem suspeito de participação na morte do sargento F. Silva, em Natal, morre em confronto com o Bope — Foto: Kleber Teixeira/Inter TV Cabugi

Outras quatro pessoas que estavam na casa do suspeito, nesta quinta-feira (11), foram conduzidas para a Divisão de Homicídios e proteção à Pessoa (DHPP) para averiguação, mas foram liberadas.

O jovem era o único dos três suspeitos que ainda estava em liberdade desde o crime. No final de dezembro, um jovem de 19 anos foi preso após se apresentar à polícia e confessar participação no crime.

Em janeiro, um homem de 36 anos, identificado como Ernane Maia Cruz Filho, morreu em confronto com policiais no município de Extremoz, na região metropolitana de Natal. Ele era suspeito de dirigir o carro usado no crime.

O caso
O sargento do Bope F. Silva, como era mais conhecido, foi assassinado durante um assalto na noite de 18 de dezembro, na Zona Norte de Natal. O crime aconteceu na Avenida Salvador, no bairro Potengi, onde o policial foi abordado por dois assaltantes enquanto manobrava o carro para estacionar, após deixar a esposa e a filha em uma casa onde funciona uma clínica de fisioterapia.

Um dos bandidos percebeu a arma na cintura da vítima e o outro realizou os disparos. F. Silva ainda foi levado por amigos ao Hospital Santa Catarina, mas não resistiu.

O assassinato do PM gerou comoção. Além de atuar desde 1992 na Polícia Militar e ser querido dos colegas, ele também coordenava um grupo de corrida com cerca de 200 pessoas na Zona Norte da capital. Várias homenagens foram feitas no velório do sargento.

Fonte: G1RN

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo