RELATO DA AVÓ/MÃE: Jovem que morreu de complicação no parto em Caicó usava drogas e álcool e não se importava com a morte

Um dia após o sepultamento da jovem Taise Araújo, 22 anos, residente no bairro João XXIII, que morreu em meio a complicações no parto, uma declaração dada pela sua avó/mãe, Dona Iraci Rosa Batista, 84 anos, confirmou a versão do médico Obstetra Dr. Jares, publicada em primeira mão pelo blog Jair Sampaio no dia do fato, sábado, 08.

“Só se vivia de beber. Era farra, era tudo por tudo! Mesmo grávida usava essas coisas (drogas). Entrava a noite e emendava o dia sem dormir e pronto, foi quem complicou tudo”. E ainda de acordo com relato da Dona Iraci, um dia antes de ser levada para o hospital Taise chegou bêbada em casa e com sinais de que teria feito uso intenso de drogas pesadas.

Dona Iraci disse ainda que presenciou Taise de ressaca e cheirando (droga por via nasal – que pode ser cocaína – crack e/ou similares) na quinta feira, 06. “Ela disse a amiga que a menina (feto) estava querendo sair pelo umbigo (explodir a barriga). Fui dar conselho mas não quis ouvir, e falou que não tinha medo de morrer, pois eu já criava um (filho dela) e podia criar outro”.

Além de Dr. Jares, o parto foi acompanhado por Dr. Manoel, Dr. Gabriel e nos minutos finais pelo médico do Samu (plantão do dia), sendo este o responsável pelo traslado de Taise até a UTI do Hospital Regional, que se deu em uma Unidade de Suporte Avançado (USA) ou UTI Móvel do SAMU. A confirmação da morte de Taise ocorreu após entrada na UTI do HRS.

Taise era mãe de outros dois filhos, um deles é criado pela mãe/avó, autora da confissão. Corpo de Taise foi sepultado neste domingo no cemitério Campo Jorge, em Caicó.

Fonte: Jair Sampaio

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo