Repórter Campograndense é escalado para fazer cobertura de documentário potiguar que é exibido em mostra nacional de cinema

A mostra nacional de cinema 'Revelando Brasis' chega ao Rio Grande do Norte para exibição do documentário “Aboio, a Poesia do Vaqueiro”, de Tárcio Araújo, produzido no município de Lajes. O filme já foi exibido em Natal nesta terça-feira (3), no Auditório do IFRN Cidade Alta, e em Lajes que serviu de locação para as gravações e cidade natal do diretor, terá exibição nesta quarta (4), às 20 horas, na área ao lado da antiga Estação Ferroviária, no Centro.

Bem no coração da caatinga onde reina o semiárido vive um brasileiro resistente e devoto. Mas é na solidão do sertão e na lida rude sem trégua que nasce uma das mais autênticas expressões poéticas deste trabalhador do nordeste.

Lages-RN:

Tradicionalmente, o município de Lajes é conhecido por abrigar dezenas de famílias de vaqueiros e aboiadores. Com 10.977 habitantes, de acordo com a estimativa de 2013 feita pelo IBGE, a cidade sedia todo o ano a Cavalgada da Divina Santa Cruz, cujo percurso de 12 km começa na sede da cidade e continua até a Capela da Serra do Feiticeiro.

O diretor ouviu antigas famílias de vaqueiros para entender a origem desta manifestação, os tipos de aboios, qual a sua relação com a fé e a religiosidade, por que o aboio é uma melodia triste e como surge o improviso do vaqueiro, dentre outras questões.

“Esta cultura pode acabar porque a zona rural do sertão a cada dia se torna menos habitada. A figura do vaqueiro tradicional está desaparecendo das caatingas e o sertão urbano aos poucos está acabando com esta tradição”, destaca Tárcio. O objetivo do documentário é valorizar esse grupo social e sua relação com a música, ao mesmo tempo, divulgar e preservar o aboio como símbolo de força, resistência e trabalho, despertando o interesse e o envolvimento das novas gerações.

Tárcio Araújo:
Tárcio Araújo havia se inscrito na terceira e na quarta edições do projeto Revelando os Brasis, mas na época não ficou entre os 40 selecionados. Desta vez, ele resolveu escrever uma nova história. “Eu quero levantar esta bandeira, deixar esta motivação para a cidade. Quem mora em uma cidade pequena sabe as dificuldades e a falta de opções para o jovem. É possível que depois desse trabalho surja o interesse coletivo pelo audiovisual na cidade, e creio que isso seja uma forma de inclusão social muito viável, principalmente entre os mais novos”, avalia o diretor. Com a participação no projeto, o diretor pretende fortalecer o seu papel de agente transformador e multiplicador cultural dentro da cidade.

Tácio é estudante de Rádio e TV pela Universidade do Estado do Rio Grande do Norte (UERN), o diretor começou na Comunicação Social em 1998, na extinta Rádio Itaremata de Lajes. Tárcio manteve, no período de 2001 a 2003, o Jornal O Pico. Em Mossoró, foi produtor de jornalismo da TV Mossoró, depois trabalhou por cinco anos como âncora na Rádio 95 FM e como produtor no programa de esportes da TV a Cabo Mossoró. Atualmente apresenta o Jornal das Cinco pela FM 105 também de Mossoró.

O Revelando os Brasis:
Realizado pelo Instituto Marlin Azul, com patrocínio da Petrobras desde a primeira edição, e a parceria estratégica da Secretaria do Audiovisual do Ministério da Cultura. O projeto conta também com a parceria do Canal Futura e os apoios da TV Brasil.

O circuito promove a democratização do acesso aos meios de produção audiovisual, oferecendo aos moradores das pequenas cidades com até 20 mil habitantes a possibilidade de contar suas próprias histórias através do cinema.

A edição deste ano é composta por 11 documentários e 9 ficções. Com roteiro, produção e direção dos autores selecionados, a mostra traz um conjunto de histórias sobre lendas, causos, crendices, personagens populares, tradições, destacando temas que registram a memória e a diversidade cultural brasileira e valorizam novos olhares sobre o Brasil.

Os autores das histórias selecionadas participam de oficinas preparatórias de Roteiro, Direção, Produção, Fotografia, Som, Edição, Direção de Arte, Direitos Autorais, Mobilização e Pesquisa com o objetivo de transformar suas histórias em filmes com duração de até 15 minutos.

Depois, eles retornam às cidades para colocar em prática o que aprenderam, a fim de realizar o filme. Lá, membros da comunidade assumem funções dentro da equipe de produção, contribuindo para execução da obra. Após a edição e a finalização, as obras integram um circuito de exibição aberto e gratuito pelos municípios participantes e pelas capitais dos estados integrantes da edição.

Para que mais brasileiros tenham acesso ao material, as obras e entrevistas com seus autores são apresentadas em um programa especial realizado pelo Canal Futura. Além disso, os vídeos são organizados em um Box de DVDs com distribuição gratuita entre os selecionados, organizações sociais e culturais, bibliotecas públicas, Pontos de Cultura, universidades e cineclubes de todo o Brasil.
Pompilio Neto, repórter natural de Campo Grande/RN.
Para o Campograndense Pompílio Neto, que está escalado como repórter para a cobertura da exibição no Sertão do Cabugi, pela TV Universitária da Universidade do Estado do Rio Grande do Norte, é sempre um quebra de paradigma um momento como o que ocorrerá em Lages: “Particularmente nem sou muito fã de vaquejada, mas, é impossível não se sentir representado por um filme desses. Tárcio está dando uma sobrevida a um aspecto cultural que está morrendo, é sempre gratificante quando nossa cultura é registrada, precisamos de mais trabalhos como o filme aboio”.

Segundo levantamentos, mais de 90% dos municípios do país não dispõem de salas de cinema. O revelando Os Brasis é uma iniciativa na contramão do circuito comercial de cinema que é muito concentrado e não costuma registrar aspectos locais como esse do interior potiguar.

Com Informações:
revelandoosbrasis.com.br/
cabuginoticia.blogspot.com.br/
Assessoria Uern TV.

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo