Ex-prefeito Bibi de Nenca publica carta ao povo de Campo Grande


CARTA AO POVO DE CAMPO GRANDE

Conterrâneos e conterrâneas,

Após o fim do meu mandato e durante todo este tempo em que a gestão atual administra Campo Grande, permaneci ausente do cenário político, não fazendo qualquer comentário, tampouco críticas acerca do desempenho da nova administração, tendo, entretanto, me mantido sempre à disposição das pessoas para conversar e ajudar o povo de nossa terra, sem que para isso tenha sido necessário atacar a honra, a integridade e o trabalho de quem quer que seja.

Durante esse tempo escutei calado as mais diversas reclamações sobre a atual situação do nosso Município. Nada obstante a isso, desde o início da atual gestão tenho sido constantemente atingido por ofensas levianas e infundadas, com o único objetivo de tentar denegrir e ofuscar os feitos da nossa gestão e atentar contra minha dignidade e minha honra, qualidades que primei durante toda minha vida e que me fizeram ser um dos poucos prefeitos que ao final de oito anos de mandato não tenha respondido sequer um processo judicial ou ter sido acusado de qualquer irregularidade administrativa.

Recentemente, ao ser autuada pela COSERN em razão da efetivação de ligações clandestinas de energia (gatos) realizadas em julho de 2017, mais uma vez, como de costume, os atuais gestores da Prefeitura de Campo Grande tentaram justificar ou esconder a prática de atos irregulares em sua administração, atribuindo a mim, através de nota oficial, a prática das mesmas ilegalidades e informando que em razão disso a Prefeitura teria recebido uma multa no valor de R$ 44.221,02.

Indignado com mais uma acusação inverídica busquei técnicos da COSERN para questionar de que se tratava tal débito, tendo agora recebido a informação de que a citada multa não tem nenhuma relação com a gestão passada e que é referente a penalidade pela aferição de ligação clandestina realizada em julho de 2017, em conformidade com Resolução Normativa da ANEEL que estabelece que ao se detectar ligações irregulares a concessionária cobrará um valor correspondente a uma estimativa de 36 meses anteriores de consumo.

Infelizmente, afogados em promessas eleitorais não cumpridas e em uma administração desastrada e desastrosa, o atual governo e seus colaboradores tentam justificar o alto índice de reprovação popular da gestão, atribuindo a mim erros, irregularidades e atos que jamais cometi, em uma tentativa, sem sucesso, de tirar o foco das muitas críticas que a população tem feito ao modo como vem sendo conduzido a administração municipal.

Por vezes, mesmo ofendido me mantive calado para evitar polêmicas e principalmente para não gerar discórdias, no intuito de conservar uma das conquistas pela qual mais lutei, como político e como gestor, que é a pacificação e a união das famílias de nossa terra. No entanto, tudo tem limite e eu não podia mais escutar inerte a todas as acusações levianas e mentirosas que tentam a todo custo manchar uma história de trabalho e dedicação que construí ao longo de oito anos junto ao povo de minha terra.

Como diz a escritura sagrada há tempo para todo propósito debaixo do céu, e acredito que agora não é tempo de fazer política ou campanha eleitoral. Por outro lado, já passou do tempo da administração atual desarmar os palanques e cumprir as inúmeras promessas feitas ao povo de nossa terra; é tempo de mostrar trabalho, pois foi com trabalho e dedicação a esta cidade que conseguimos a maior vitória da história política-eleitoral do nosso município em 2012, e com este mesmo trabalho que o povo me conferiu o maior índice de aprovação popular entre os prefeitos do Estado do Rio Grande do Norte.

Me orgulho de ao final de oito anos de mandato poder olhar no olho de cada um dos filhos de nossa terra com a sensação de dever cumprido, com a serenidade de quem nunca precisou enganar o povo para vencer uma eleição e com a integridade de quem deixou mais de dois milhões de reais em conta para uma gestão adversária.

Quero crer que o atual prefeito não compactua com as leviandades que são propaladas constantemente por seus colaboradores e por blogs vinculados a Prefeitura Municipal, mas, se é assim, no mínimo, peca pela omissão.

Como diz o ditado popular, “paciência tem limite”.

Pois bem. A minha acabou!!!

A partir de agora não aceitarei mais calado qualquer agressão, e deixo claro que a cada inverdade propalada contra mim ou contra a minha gestão, apresentarei duas irregularidades da atual – e são muitas em menos de 12 meses!!!

Finalizo, afirmando que uma das maiores virtudes do homem e sobretudo do administrador público é cumprir com a sua palavra e reconhecer seus atos. Portanto, a gestão atual deve começar a admitir seus erros, sem olhar para trás e sem buscar no passado culpados para seu fracasso, pois como diria Buda “a mentira pode salvar seu presente, mas condenará seu futuro”!

Campo Grande/RN, 01 de novembro de 2017.

Francisco das Chagas Eufrásio Vieira de Melo
“Bibi de Nenca”

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo