Vigilante pega 23 anos e 6 meses de prisão por ter matado a amante e queimado o corpo em Upanema

O vigilante Moab Anselmo da Silva de 50 anos, pegou 23 anos e 6 meses de prisão por ter matado a amante e ocultado o cadáver na zona rural de Upanema.

A vítima é a dona de casa Francisca Márcia Freitas Ribeiro, que em 2014, quando foi assassinada, tinha 27 anos. Era casada e tinha um filho pequeno.

O Tribunal de Júri aconteceu na manhã desta quinta-feira (08/06), sob a presidência do juiz Vagnos Kelly Figueiredo de Medeiros, no Fórum Municipal Desembargador Silveira Martins em Mossoró.

Na ocasião, Moab confessou o crime. Relatou que matou a vítima porque havia emprestado dinheiro para ela comprar uma motinha e ela não o queria mais.

O promotor de Justiça Armando Ribeiro Gonçalves pediu ao Conselho de Sentença que condenasse o réu por homicídio duplamente qualificado.

A advogada de defesa Anairam Carla de Lima tentou reduzir o impacto da denúncia, alegando que o réu confessou o crime e que não tinha antecedentes.

Ao final dos debates, o presidente do TJP convocou o Conselho de Sentença a Sala Secreta onde foi selado o destino de Moab Anselmo. Decidiram pela condenação.

Pelo o homicídio qualificado, Moab pegou 20 anos de prisão. Por ter matado uma mulher, a pena foi majorada em 2 anos. Por ter ocultado o corpo, aumentou mais 1 ano 6 meses.

A pena definitiva ficou em 23 anos e 6 meses de prisão. Moab está preso desde 2015, quando foi localizado pela Polícia Civil no Estado do Piaui, fugindo da Justiça do Rio Grande do Norte.

Agora vai trocar de estabelecimento prisional. Estava aguardando julgamento na Cadeia Pública de Mossoró e em seguida deve ser transferido para o sistema prisional estadual.

Fonte: Mossoró Hoje

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo