Caern retoma abastecimento em Campo Grande e cidades vizinhas pela Adutora Médio Oeste

A Companhia de Águas e Esgotos do Rio Grande do Norte (Caern) adotou uma solução emergencial para retomar o abastecimento de água nos municípios de Paraú, Triunfo Potiguar, Campo Grande, Janduís, Messias Targino e Patu, que são atendidas pela adutora Médio Oeste e vêm sofrendo as consequências progressivas da estiagem prolongada que assola o Rio Grande do Norte e toda a região Nordeste desde 2011.

A captação de água para o Sistema Produtor Integrado Médio-Oeste, também conhecido por Adutora Arnóbio Abreu, é realizada num espelho d’água do Rio Piranhas Açú, no município de Jucurutu. À medida em que esse espelho vem recuando, a Caern vai adentrando cada vez mais o seu ponto de captação. Atualmente, esse ponto está situado a aproximadamente 1.500 m da estrutura de captação original do sistema.

Para garantir a normalização do abastecimento nos municípios atendidos pela adutora pelos próximos seis meses, a Caern irá estender o ponto de captação mais 1.000m adentro, resultando um distanciamento aproximado de 2.500m do ponto original. O trabalho deverá ser concluído em até 60 dias e beneficiar 39 mil pessoas que residem nestes municípios.

Para a execução do serviço, a Caern deverá implantar mais de 1.000m de tubos com diâmetro de 300 mm, adquirir e instalar bombas e quadros de comando, assim como estender a alimentação elétrica pela mesma extensão. As condições locais são adversas, pois se trata de áreas inundadas até recentemente, exigindo o uso de máquinas pesadas e mão-de-obra especializada.

A Caern estima que, após essa nova obra de extensão para o novo ponto de captação, o abastecimento nos seis municípios atendidos pelo Sistema Produtor Integrado Adutora Médio Oeste deverá ser normalizado por um período de seis meses, caso não haja registro de chuvas na região.

MEDIDA PALIATIVA

Enquanto o trabalho para o novo ponto de captação não é concluído, uma equipe da Caern está fazendo aberturas no canal de comunicação da água, para que ainda se perdure por mais algum tempo a utilização do ponto atual de captação. O serviço inclui ainda a desobstrução do canal e retirada de vegetação para que a água escoe até a Estação de Bombeamento sobre uma estrutura flutuante.

Todavia, esta é uma situação paliativa, feita de forma emergencial, que não garante o abastecimento por muito tempo. A solução será utilizada até que seja executado o serviço de mudança de captação – que será concluído em até 60 dias -, tendo em vista o rebaixamento contínuo do nível da água no atual ponto de captação, em função da evaporação, retirada de água para o abastecimento humano e ausência de chuvas.

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo