Acusado de roubar, matar e queimar corpo de comerciante em Apodi pega 23 anos de prisão

O presidiário Antônio Renato Moreira de Souza Filho, o “Renatinho” de 20 anos, foi condenado a 23 anos e 9 meses de prisão pelo latrocínio contra o comerciante “Teté de Ademar”, ocorrido no final do ano de 2015 em Apodi.

O julgamento tinha sido realizado em maio deste ano, mas a decisão final da Justiça só foi divulgada na última quinta-feira (11).

Renatinho está preso em Alcaçuz e deverá permanecer lá, até que a Justiça determine seu retorno ao Centro de Detenção Provisória (CDP) de Apodi. De acordo com a denúncia do Ministério Público, foi ele quem arrombou para roubar a casa do comerciante Antônio Leão da Silveira, de 74 anos, mais conhecido como “Teté de Ademar”, na madrugada do dia 20 de novembro do ano passado.

Na época, ele cumpria pena por roubo no regime semiaberto e não foi dormir no CDP como deveria. O acusado matou a vítima com pauladas na cabeça, enrolou o corpo em fios elétricos e ligou na rede, para esconder possíveis provas contra ele. Entretanto, o delegado Renato Oliveira, de Apodi, investigou e encontrou provas que o incriminava. Renatinho acabou confessando o latrocínio durante o julgamento. O outro jovem, tido como segundo suspeito no crime, foi inocentado.

Jaques Douglas, de 21 anos, tinha sido acusado pelo próprio Renatinho ao delegado, mas dias antes do julgamento, Renatinho confessou que ele não teve nenhuma participação no caso.

Em entrevista exclusiva ao MOSSORÓ HOJE, Douglas contou que não tinha mais paz, depois que foi preso por engano.

Jaques Douglas foi defendido pelos advogados Eduardo Souza e Euclides Jácome. Após a publicação da decisão, eles se disseram satisfeito com o resultado. “Foi feito a Justiça”, destacou Eduardo.

Fonte: Mossoró Hoje

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo