Voto feminino deixará de ser obrigatório no Brasil

Desde 1932 a mulher participa dos processos eleitorais no Brasil. No entanto, a partir de 2016 a participação feminina será revogada. Ao menos no que tange a participação obrigatória. Isto é o que rege o projeto de lei de autoria do deputado federal Pastor Robinson Nunes, do PRB da Paraíba.

Em seu projeto polêmico o deputado argumenta que a retirada da obrigatoriedade do voto feminino é o primeiro passo no sentido da depuração do processo eleitoral no Brasil. Seu próximo passo é a exclusão dos analfabetos e indígenas das eleições a partir de 2018.

Robinson Nunes argumenta que seu projeto não é machista pois concede a mulher a dimensão facultativa ao voto. “Não estou proibindo a mulher de votar. Apenas dando a ela a opção de no domingo de eleições escolher entre ir até a urna ou ficar com seus filhos”.

Na Comissão de Constituição e Justiça do Congresso o projeto tem simpatia da banca evangélica que evoca o livro de Coríntios no Novo Testamento para fundamentar a adesão a proposta. O deputado federal Isaias Martinho, do PR do Acre, lembra que para Deus “o silêncio da mulher é sagrado”.

Caso seja aprovado até março a lei já passaria a valer nas eleições de 2016.

Fonte: Enfu.com

© WWW.CGNAMIDIA.COM - 2010/2016. Todos os direitos reservados.
desenvolvido por: D'Creative Agência Digital
imagem-logo